quarta-feira, 31 de março de 2010

Giants

Momentos a sós!

where are you?

A tua ausência angustia-me

All...

 

* by 1001 t-shirts

sonho ou realidade?

mergulhei no azul profundo dos teus olhos
inalei o perfume do teu corpo
senti a suavidade da tua pele
bebi todas as tuas palavras
gravei todos os teus sorrisos
rasguei o preconceito e vivi intensamente até...

...ao momento de acordar

Labirinto

Objectivo: chegar ao centro médico

Meio de transporte: metropolitano e a pé

Ocorrência:
sai da carruagem na estação que utiliza diariamente e dirige-se à saída
olha para os nomes das ruas e avenidas
parece-lhe que é para a direita, dado que o nome da avenida está na placa
percorre o túnel e sobe as escadas
chega ao cimo das escadas e olha para os prédios em frente
"oh enganei-me na saída";

dá meia volta e desce as escadas
percorre o tunel, passa pela zona das bilheteiras
ruma à outra saída e percorre o túnel
sobe as escadas e quase a chegar ao cimo olha para os prédios
"oh mas afinal não é por aqui, a outra saída é que era a correcta";

volta a dar meia volta
desce as escadas, percorre o túnel e passa pela zonas das bilheteiras
percorre o túnel, sobe as escadas e chega ao cimo
olha em redor
"afinal a saída era a outra"

Desiste e atravessa a avenida na passagem para peões.

Lição: o meu gps também avaria

terça-feira, 30 de março de 2010

Chá das cinco

O chá nunca foi bebida da minha eleição, achava que era apenas uma porção de água com sabor a ervas. Há uns anos uma colega de trabalho ofereceu-me uma caixa de chá, do verde aos ingleses a diversidade era grande. Infeliz ideia oferecer uma caixa de chá a quem não gosta do mesmo.
Inicialmente pensei desfazer-me da caixa da mesma forma que algumas pessoas fazem com os presentes que desgostam, oferecê-la no Natal seguinte. Pode não ser o mais correcto mas dessa forma alguém iria degustar as variedades de infusão ofertadas.

Certo dia olhei para a caixa e pensei "se experimentasse um, pode ser que goste!". Assim foi, com algumas reservas iniciei a prova tal qual um enólogo com um vinho da melhor casta, cheirar, analisar a cor, beber um pouco, sentir o sabor.


Aos poucos fui apreciando a mistura das ervas com a água. Confesso que está longe de ser a minha bebida preferida mas conquistou um lugar nos meus hábitos de tal forma que, só ou acompanhada, gosto de fazer uma pausa a meio da tarde para beber o chá das cinco.

segunda-feira, 29 de março de 2010

Entranhas

Vagueio pelas ruas da solidão, longe de ti, do teu corpo, dos teus beijos e das tuas carícias.
Caminho numa avenida ausente de amor, ardor e paixão.

Anseio por ti, pelas tuas palavras, pelo teu sorriso.

Sinto a tua presença em todo e qualquer lugar, até no meio da multidão.
Não consigo controlar a ansiedade que aperta o peito, a saudade que rasga o coração.

Estás entranhado em mim.

quarta-feira, 24 de março de 2010

Beleza

"Uma mulher bonita não é aquela de quem se elogiam as pernas ou os braços, mas aquela cuja inteira aparência é de tal beleza que não deixa possibilidades para admirar partes isoladas."

Séneca
 

terça-feira, 23 de março de 2010

Anjo da guarda

Segundo as crenças cristãs, anjos da guarda são os anjos enviados por Deus no nosso nascimento para nos protegerem durante a nossa vida toda. Para algumas pessoas é inegável que andam por aí, para outras não passam de crenças.No que me diz respeito nunca pensei muito no assunto.

Após o dia de trabalho saí em direcção ao metropolitano, como faço sempre que não me desloco de carro, e como em qualquer local com semáforos esperava que passasse para verde para prosseguir o meu caminho.
O sinal muda para verde e em milésimos de segundo o cérebro indica que podemos prosseguir. Dei um passo em frente para atravessar a estrada mas por impulso dos meus reflexos,  por obra do meu anjo da guarda ou de ambos voltei para trás mais rápido que o Speddy Gonzalez.

A luz estava vermelha para os condutores mas uma "nem sei como lhe chamar" quase que "passou a ferro" duas pessoas. Naqueles segundos fiquei com alma vazia, como se tivesse parado de respirar, como se vivesse em suspenso.

Hoje chego ao final do dia com um sentimento de gratidão ainda maior e acredito que não foram apenas os meus bons reflexos que evitaram o meu atropelamento.

Obrigada, obrigada

From The Secret Daily Teachings

Write down all the great things about everyone you know.
Make a huge list of all the wonderful things about you.
Compliment people wherever you go.
Praise every single thing you see.
Be a ray of sunshine to everyone you meet, and make their day better for having seen you.
Say "Thank you" at every turn.
Walk, talk, think, and breathe appreciation and gratitude.

When you do this, your outer life will change to reflect your inner state of being.

domingo, 21 de março de 2010

Feelings

Para ser grande, sê inteiro

Para ser grande, sê inteiro: nada  
Teu exagera ou exclui. 
Sê todo em cada coisa. Põe quanto és 
No mínimo que fazes. 
Assim em cada lago a lua toda 
Brilha, porque alta vive 

Ricardo Reis

verdade

"a única verdade é que vivo.
Sinceramente, eu vivo.
Quem sou?
Bem, isso já é demais...."


Clarice Lispector

Pernas para que te quero

O dia amanheceu nublado mas a Primavera depressa nos brindou com uma bela manhã de sol, dia propício para a realização de mais uma prova da Maratona de Lisboa, desta feita a 20ª edição.


Fomos 35 mil a atravessar a ponte 25 de Abril, a correr ou a caminhar cada um fez o percurso ao seu ritmo. As mini-maratonas têm conquistado ao longo dos anos cada vez mais adeptos. Se uns entram na prova com propósitos competitivos, outros fazem-no com o propósito de convívio e prática de exercício.

Em Setembro teremos mais uma, na Ponte Vasco da Gama.

sábado, 20 de março de 2010

Sabedoria infantil

O que fazem duas pessoas no primeiro encontro?

"Os encontros são para as pessoas se divertirem e devem aproveitar para se conhecer melhor um ao outro. Até os meninos têm coisas interessantes para dizer se lhe prestamos bastante atenção."
Luísa, 8 anos



"No primeiro encontro, contam-se mentiras interessantes para conseguir um segundo encontro."

Martim, 10 anos

blogar

retirei consoantes e vogais
adicionei pontos e virgulas
baralhei linhas e parágrafos

imprimi ideias e pensamentos
joguei com metáforas e paralelismos
usei e abusei de verbos e adjectivos

li e reli
apaguei e rescrevi
formatei e publiquei
tudo isto graças ao Abecedário


Manta de retalhos

Retalhos de amor e de rancor
Retalhos de alegria e tristeza
Retalhos de solidão e companheirismo
Retalhos de muito e de pouco

Retalhos de experiências
Retalhos de aventuras
Retalhos de comodismo
Retalhos de medo

Assim é a manta das nossas vidas

sexta-feira, 19 de março de 2010

Tenho medo dos fantasmas da minha voz

Não me deixe só
Eu tenho medo do escuro
Eu tenho medo do inseguro
Dos fantasmas da minha voz

Não me deixe só
Tenho desejos maiores
Eu quero beijos intermináveis
Até que os olhos mudem de cor
Não me deixe só
Eu tenho medo do escuro
Eu tenho medo do inseguro
Dos fantasmas da minha voz
...
 

quinta-feira, 18 de março de 2010

Vazio

Hoje sinto-me vazia de palavras e pensamentos



O começo

"Não podemos voltar atrás e fazer um novo começo, mas podemos sempre recomeçar e fazer um novo final."
Ayrton Senna

quarta-feira, 17 de março de 2010

Fio dental

Durante os meus passeios na blogoesfera descobri  A maça de Eva e num dos seus post revivi cinco anos da minha vida e uma história.

Esta história quase que dava um livro, de reclamações inclusivé. Foram cinco anos de vida em comum que acabaram no início de Setembro do ano passado. Pelo meio ocorreu uma separação de oito meses, separação para renovação e redifinição de planos e estratégias.


Não me arrependo, acho até que deveria tê-lo feito mais cedo, ou melhor tive que fazê-lo devido à escolha inicial, se a escolha tivesse sido outra...


As uniões acabam e cada um segue o seu caminho, mas neste caso continuarei o resto da minha vida com um apêndice dele literalmente colado a mim.

Esta é a minha história com um aparelho ortodôntico.

A arte da reutilização

Colorir

Azul, amarelo, vermelho, verde
Acompanharam-me durante anos.
Foram o meio para alcançar o fim
Mais grosso ou mais fino
Grande e  depois pequeno
Ainda hoje gosto deles

Nós por cá...

As notícias sobre a vida política giram quase sempre em torno do mesmo, governo e oposição, crise e orçamento de estado, o diz que disse de uns e de outros. De tal forma assim é que na maioria das vezes não presto atenção aos blocos notíciários sobre o tema. Hoje porém foi uma excepção.

Durante uma reportagem o jornalista mencionou várias vezes "a lei da rolha", chamou-me a atenção.

Para uma espectadora não atenta ao bloco notíciário político, como é o meu caso, rolha tem associação lógica com cortiça, vinho,exportações.
Mas parece que não tem nada a ver. Politiquices!

A minha ignorância sobre o assunto continua, para mim rolhas só mesmo nas garrafas.

terça-feira, 16 de março de 2010

Em busca do som

Ouvia alguém chamar por mim, a voz era ao mesmo tempo estranha e familiar. Olhava à minha volta, voltava a olhar, mas não via ninguém. Encontrava-me só e num local que não conseguia identificar.

Caminhei em direcção à voz que continuava a ouvir, a curiosidade obrigava-me a dar passo atrás de passo em direcção ao som. Por vezes parecia perto, por outras parecia que ainda teria que percorrer um longo caminho.
Sentia-me como um fantoche, como se alguém puxasse os fios que comandavam o meu corpo. Não sei quanto tempo caminhei nem por onde, sei apenas que seguia o som da voz que sentia cada vez mais perto.

Comecei a interiorizar aquela voz e a tentar imaginar a pessoa por detrás do som. Sabia que era homem pelo acento grave do tom mas seria alto ou baixo, seria louro ou moreno, teria olhos escuros ou claros. Saberia tudo isso quando me encontra-se com "a voz".
Num determinado momento do meu percurso parei subitamente, o meu corpo queria continuar mas as cordas que o comandavam não possibilitavam qualquer movimento. Continuava a ouvir a voz mas agora ao longe. Entrei num estado sonolento que não me permitia perceber o quão longe. Continuei a ouvir a voz, não me lembro o que dizia apenas que me embalou até adormecer.

domingo, 14 de março de 2010

O poder dos números

Os números são muito mais do que elementos de aritmética, são  peças de um jogo e podem pronunciar check-mat a partir de determinado nível.

Num tabuleiro de xadrez onde as peças são as calorias, os hidratos de carbono, as proteínas, as vitaminas e muitas outras os números têm poderes para lá do seu valor aritmético.

Somo mais do que corpo, mas a matéria que nos transporta no trajecto da vida não deve cair no sonâmbulismo da indisciplina e desordem de hábitos pouco saudáveis.

Inspiração

São textos como este que nos inspiram.

"Depois de algum tempo aprendes a diferença entre dar a mão e acorrentar a alma. Aprendes que amar não significa apoiar-se e que companhia não significa segurança. Começas a aceitar as tuas derrotas de cabeça erguida e olhos adiante com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança. Aprendes a construir todas as tuas estradas hoje, porque o terreno de amanhã é incerto demais para os planos e o futuro tem o costume de cair em vão.

Depois de algum tempo aprendes que o sol queima se ficares exposto por muito tempo e aprendes que não importa o quanto te importe, algumas pessoas simplesmente não se importam... E aceitas que não importa quão boa seja uma pessoa, ela vai ferir-te e de vez em quando tu precisarás de perdoar-lhe por isso. Aprendes que falar pode aliviar dores emocionais. Descobres que se levam anos para se construir a confiança e apenas alguns segundos para a destruir, e que podes fazer coisas num instante das quais te arrependerás pelo resto da vida. Aprendes que não temos que mudar de amigos se compreendermos que os amigos mudam, percebes que tu e o teu amigo podem fazer qualquer coisa ou nada, e terem bons momentos juntos.
 

Descobres que as pessoas com quem mais te importas na vida são levadas para longe de ti muito depressa, por isso devemos deixar as pessoas que amamos com palavras amorosas, pois pode ser a última vez que as vemos. Aprendes que as circunstâncias e os ambientes têm influência sobre nós e que somos responsáveis por nós mesmos. Começas a aprender que não nos devemos comparar com os outros, mas com o melhor que podemos ser.
 

Descobres que demora muito tempo a ser a pessoa que se quer ser e que o tempo é curto... Aprendes que não importa onde já chegaste, mas para onde vais, mas se não sabes para onde vais, qualquer lugar serve. Aprendes que ou tu controlas os teus actos ou eles te controlam a ti, e que ser flexível não significa ser fraco ou não ter personalidade, pois não importa quão delicada e frágil seja a situação, existem sempre os dois lados. Aprendes que a paciência requer muita prática.
 

Descobres que, algumas vezes, a pessoa que esperas que te chute é uma das poucas que te ajudam a levantar. Aprendes que a maturidade tem mais a ver com os tipos de experiências e com o que tu aprendes com elas. Aprendes que há mais em ti dos teus pais do que tu supunhas.
Aprendes que nunca se deve dizer a uma criança que os sonhos são parvoíce, poucas coisas são tão humilhantes e seria uma tragédia se ela acreditasse nisso. Aprendes que quando estás com raiva tens o direito de estar com raiva, mas isso não te dá o direito de ser cruel.


Descobres que só porque uma pessoa não te ama da forma como tu queres que ame, não significa que esse alguém não te ame com tudo o que pode, pois existem pessoas que amam mas, simplesmente não sabem como demonstrar ou viver isso. Aprendes que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém, algumas vezes tens de aprender a perdoar-te a ti próprio. Aprendes que com a mesma severidade com que julgas, tu serás em algum momento condenado. Aprendes que não importa em quantos pedaços o teu coração foi partido, o mundo não pára para que tu o consertes.
 

Aprendes que o tempo não é algo que possa voltar atrás. Portanto, planta o teu jardim e decora a tua alma em vez de esperares que alguém te traga as flores.
 

E aprendes que realmente podes suportar... que realmente és forte e que podes ir mais longe depois de pensares que não podes mais. E que realmente a vida tem valor e que tu tens valor diante da vida!"

William Shakespeare

E se fossemos já amanhã?

Começámos a preparar as férias de Verão. Escolher os locais, pesquisar vôos e hotéis, ler apreciações de outros que por lá passaram e muitos outros pormenores.
Trabalho e mais trabalho para uns merecidos dias de férias

sábado, 13 de março de 2010

Energia

No final deste dia posso dizer quão bom foi passar o dia com um grupo de pessoas fantásticas cheias de energia e positivismo e o quanto precisava desta "injecção".

Obrigada

Desejos

Os idealistas ficam com os desejos, os conquistadores colocam-os em prática.

sexta-feira, 12 de março de 2010

Partir a corrente

Um dia alguém me disse que o lugar do passado é nos museus, e que as múmias das nossas vidas deverão aí ser guardadas. Sempre o soube, e ainda hoje sei, que é importante que o façamos para que possamos viver em plenitude o presente, mas parece que "faço questão" de andar com as minhas múmias atrás.
Existe uma corrente pesada e grossa que me prende a elas, tão grossa e pesada que por vezes nem consigo caminhar.

Esta afeição às múmias é de facto estranha e um pouco masoquista. Há gostos para tudo.

Não será bom ter umas múmias de estimação, alimentá-las, dar-lhes banho, fazer-lhes o jantar e tudo o mais para que eles se sintam ali bem e não queiram ir embora? Para que continuem a assombrar a nossa vida e a não nos deixar viver o presente!

Fiz várias tentativas para mandá-las embora; se um dia as expulsava, no outro clamava pela sua presença. Frequentes vezes um passo dado representou não um passo em frente mas vários passos atrás.

Serei demasiado frágil e fraca para "matar" as minhas múmias?


quinta-feira, 11 de março de 2010

Simplicidade

A simplicidade é um tesouro infinito:
se não podes ter o que queres, contenta-te com o que tens.

Provérbio árabe

quarta-feira, 10 de março de 2010

GPS

Não sei para onde vou nem para onde quero ir
Sei apenas que não estou bem onde e como estou
 Falta-me algo
Tenho muito de nada e nada de muito


Procurei nos mapas novos destinos, rotas e aventuras
Pesquisei novas formas e contornos
Procurei sem saber o que procurava



Finalmente descobri que procurava a emoção certa para ligar o meu GPS

O sonho comanda a vida

Programa

Vi-os uma vez e fiquei com vontade de voltar.

Em cena até dia 14  peça "Bouncers" pela companhia The Lisbon Players

A descobrir

Descobri-o numa revista e fiquei curiosa, o requinte exótico de Bali e a "art de vivre" de Paris juntas criam o ambiente do Kuta Bar em Alfama

terça-feira, 9 de março de 2010

Entre linhas

Estão ali parados, sinto que me olham fixamente e isso perturba-me.

Sei que deveria dar-lhes atenção, passar tempo com eles, devorar as linhas e entre linhas, mas há uma força estranha que me impossibilita aproximar, sentir ou até mesmo olhar.

Frases soltas



"O órgão sexual mais importante é o cérebro"

REGINA BRETT

segunda-feira, 8 de março de 2010

Gotan Project

De regresso a Lisboa, Coliseu dos Recreios, 7 de Maio às 22h



Vamos?

O regresso

Eu sei que ele vai voltar, mas enquanto não volta não consigo impedir que o meu sentido de humor seja negativamente afectado por esta malvada


Dia da Mulher

Ouvi hoje alguns homens ironizarem sobre o Dia da Mulher e questionarem "porque há um dia da mulher e não há um dia do homem?"

O Dia da Mulher não serve para dar importância suprema à mulher mas serve sim para não deixar esquecer que...
há mulheres que sofrem discriminação sexual
há mulheres que não têm qualquer importância na sociedade civil nem no seio da sua familia
há mulheres vítimas de maltratos físicos e psicológicos
há mulheres mutiladas genitalmente ainda meninas
há mulheres que não têm o direito a ser mulheres

É por isso que existe o Dia da Mulher... para não deixar cair no esquecimento!

sábado, 6 de março de 2010

A ausência

Os dias passam e dou por mim a lembrar-me de ti cada vez com menos frequência, o pior é que este esquecimento involuntário doi.

Chorei de tristeza e de saudade.
Chorei de dôr e de raiva para com o mundo, porque tinhas que ser tu...

Foi muito dificil ver-te partir. Nunca tinha sentido dôr semelhante, ainda hoje doi mas com menos intensidade pois também esta vai aliviando. Habituamo-nos à ausência, ao lugar vazio.

Que saudades querida amiga, que saudades.

Rostos sem nome

Diariamente no trânsito olho para os rostos sem nome que se deslocam nas viaturas da faixa do lado e muitas vezes me pergunto, porque não sorriem, será que toda esta gente é infeliz?

Os rostos sem nome no trânsito matinal parecem uma banda desenhada de personagens tristes e amarguradas.

Quando vejo um "desenho" sorridente, a cantar a música que passa na rádio, a rir do que dizem alguns animadores de programas de rádio ou simplesmente de cara alegre dou um grande sorriso e penso:

- uaauuuu afinal há mais como eu!

Volta...

...lamento se o meu esforço não foi suficiente, se a minha dedicação não foi a adequada, se a estratégia utilizada não foi a mais indicada.

Volta motivação preciso de ti.

Xadrês

Não sei jogar xadrês, digo eu, no entanto há circunstâncias que me levam a fazer jogadas tão ou mais elaboradas do que as feitas sob um tabuleiro aos quadradinhos.

Nem sempre faço as jogadas certas.
Umas vezes ganho, outras vezes perco.

É assim a vida!

quinta-feira, 4 de março de 2010

Que vício

Quem o apanha muito dificilmente o perde, que saudades de um pézinho de dança


Sensualidade e ritmo

Johnny Vazquez sempre em grande

1, 2, 3, 5...

Desde que me lembro de ser gente sempre gostei mais de letras do que números, não sei explicar porquê mas as letras sempre tiveram algo de mágico.
A magia de me colocar dentro das histórias.
Foi esta magia que me levou a optar por uma vertente escolar de letras; sempre pensei que um dia seria jornalista, socióloga, relações públicas ou qualquer outra coisa das áreas socias.

As circunstâncias da vida levaram-me há poucos anos atrás a trabalhar com números e, apesar de inicialmente um pouco frustrante, descobri que gostava mais de números do que pensava.

Vivo no meio de números e cálculos durante o dia, mas brinco com as letras à noite.

Tim Burton, o regresso

Alice no País do Erotismo

Nada a acrescentar

Estou sem palavras!

quarta-feira, 3 de março de 2010

terça-feira, 2 de março de 2010

Apetece-me algo

Um dia destes tive uma vontade louca de comer Salame de Chocolate. Não consegui perceber este desejo súbito, dado que prefiro salgado a doce, mas em determinados momentos os nossos desejos são incontroláveis...também nesses que estão a pensar!

No meu percurso de regresso a casa não parava de pensar nas suas fatias castanhas pintalgadas de bege, na sua forma, no seu sabor e no que prazer que seria deliciar-me com uma ou mais fatias. A gula pelo salame de chocolate foi naquele dia o meu pecado capital.

E claro está que para matar o desejo nada melhor do que passar no supermercado e comprá-lo.
Se me permitem, agora vou dar-lhe uma trinca.

Palavras para quê?


Deste-me a mão e caminhámos juntos pela areia molhada
A ténue luz do Sol desenhava a nossa silhueta no chão
Sentámo-nos e ficámos abraçados, em silêncio
Em silêncio conversámos sobre a vida, o tempo, o amor, a amizade e o respeito
Em silêncio partilhámos cumplicidades, alegrias, tristezas, gostos e desgostos
Em silêncio falámos de tudo e de nada
Palavras para quê?

O virar da página

Rasguei a página onde estava pintado o sofrimento
Rasguei-a por orgulho, por amor e por esperança
Esperança de um novo dia, um novo sol e uma nova vida
Uma vida plena de verdade e vazia de falsidade
Uma vida cheia de flores de amor e de amizade
Uma vida feliz!

(dedicação a uma boa amiga)

Pontos de vista

"SOFREMOS MUITO COM O POUCO QUE NOS FALTA E GOZAMOS POUCO O MUITO QUE TEMOS."

(William Shakespeare)

O Vôo


Gostava de ter asas
Ter asas para poder voar
Voar para longe
Longe de mim, longe de ti
Longe de nós

Voar para onde tenha
Tudo para aprender
Tudo para viver
Tudo para sentir

Voar para um lugar mágico
Cheio de tudo e de nada
Com tudo o que vivi
Sem nada do que vivi

Hoje gostaria de ser pássaro!

Chuva

"As coisas vulgares que há na vida
Não deixam saudades
Só as lembranças que doem
Ou fazem sorrir

Há gente que fica na história
da história da gente
e outras de quem nem o nome
lembramos ouvir

São emoções que dão vida
à saudade que trago
Aquelas que tive contigo
e acabei por perder

Há dias que marcam a alma
e a vida da gente
e aquele em que tu me deixaste
não posso esquecer

A chuva molhava-me o rosto
Gelado e cansado
As ruas que a cidade tinha
Já eu percorrera

Ai... meu choro de moça perdida
gritava à cidade
que o fogo do amor sob chuva
há instantes morrera

A chuva ouviu e calou
meu segredo à cidade
E eis que ela bate no vidro
Trazendo a saudade"
Fado Chuva
Mariza

http://www.youtube.com/watch?v=OpExb2hCYTs

A Fénix

Há dias em que somos as pessoas mais apaixonadas, mais alegres, mais motivadas, mais enérgicas, mais tudo; noutros parece que nada do que nos rodeia nos apaixona, alegra ou motiva. Parece que algo dentro do nosso corpo ou mente se apodera literalmente da nossa energia, paixão e motivação.

O que me resta? Abrir a minha janela, deitar tudo fora e esperar que o amanhã traga o renascimento.