quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Coincidências

Ao percorrer a estação e cruzar-me com as inúmeras pessoas que por ali passam imagino cenas de filmes nas quais se deslocam apressadamente para chegarem o mais rapidamente possível a casa, à escola dos filhos, ao ginásio, às aulas nocturnas, a um segundo trabalho ou a um jantar com familiares e amigos. Imagino igualmente que são personagens de um filme de banda desenhada e que se movem muito depressa, são  formigas que vão de um lado para o outro, muito rapidamente, sem tempo, nem querer, para reparar no que se passa à sua volta.

Tal como muitos também eu faço algumas viagens nas quais tudo o que se passa à minha volta não existe, o mais urgente é chegar. As centenas de rostos com os quais me cruzo não passam disso, rostos desconhecidos, erguidos sobre corpos que circulam pelas ruas e ruelas da vida, rostos simpáticos ou antipáticos, fatigados ou descansados, sorridentes ou sérios, felizes ou infelizes. Figuras com história que passam por mim mas nem as vejo.

Piso as escadas rolantes e começo a descer os degraus, apesar de rolantes não consigo seguir parada no degrau à espera que o mesmo chegue ao final, não percebo porque insisto no seu uso em vez das escadas normais se prefiro as últimas às primeiras por questões óbvias, exercitar as pernas nos trajectos casa-trabalho-casa. Dirijo-me apressadamente para a plataforma, não sei os horários do metro mas tenho a sensação que se aproxima a saída de mais um conjunto de carruagens rumo à ultima estação, ou primeira depende da perspectiva. Está quase na hora, é fácil adivinhar pelo número de pessoas na plataforma, escolho um local com menos gente esperando que aquele local seja o mais próximo possível de uma das portas da carruagem que parar em frente.

Mergulho a mão no saco que transportara o almoço e o lanche já comidos, sem dúvida mais leve que de manhã, e retiro-o. Reparo num senhor mais adiante que me observa enquanto me preparo para submergir num dos meus grandes prazeres, a leitura. Livros são como panelas de canja, cozinhadas carinhosamente pela nossa mãe, com uma sopa de letras deliciosa que nos alimenta, em vez do estômago, a alma.

Adoro livros, tenho um prazer enorme na leitura, admiro cada um dos escritores pela sua imaginação e criatividade que nos transportam para "dentro" de histórias que, sendo ficção ou não, nos possibilitam viajar por terras desconhecidas, imaginar cenários e situações, sentir as emoções dos seus personagens. Adoro o jogo de palavras, a sopa de letras temperada por metáforas e parábolas, as descrições de locais e eventos e, acima de tudo, a vontade de ler página após página até chegar ao FIM.

Continuo na plataforma mas no momento em que me foco nas palavras, que me transportam para o momento da história que tinha ficado umas horas antes, passo por uma máquina do tempo e espaço. A história prende-me desde o primeiro minuto, já havia visto o filme baseado na mesma, o qual adorei não apenas pela história mas pelos excelentes actores. É a primeira vez que leio o livro após ver o filme e é estranha a sensação de identificar as personagens e eventos à medida que se percorrem as páginas, em vez de à medida que avança o filme.


À minha semelhança várias pessoas têm os olhos colados a um livro aproveitando o regresso a casa para fazer algo que, supostamente, gostam. Por muito concentrada que esteja na minha leitura se, pelo canto do olho, vislumbro alguém com um livro imediatamente tento perceber qual o livro que está a ler. Não consigo evitar, é mais forte que eu, é uma sensação maravilhosa ver a capa e titulo de um livro que se desconhece, identificar um livro que se leu e gostou, ou até mesmo reconhecer o livro que se lê no momento.

Ao entrar na carruagem dirijo-me a um lugar sentado e acomodo-me para retomar a leitura, a meu lado senta-se uma senhora que também ela transporta um livro. Os meus olhos sentem-se imediatamente atraídos por aquele pedaço de papel impresso, pelo tamanho de edição de bolso, pela cor da capa e pelo título, coincidência ou não o livro é o mesmo que o meu.




1 comentário:

  1. Tb já li o livro e gostei muito :)
    Agora só falta ver o filme.
    Beijinhos PP

    ResponderEliminar