quarta-feira, 2 de março de 2011

Gavetas

Todos as temos, mais ou menos organizadas, sujas ou limpas, cheias ou vazias, gavetas de experiências, sentimentos e emoções.
Umas vezes fechamos-las à chave por forma a esquecermos o seu conteúdo, noutras deitamos a chave fora para que não caiamos na tentação de a voltar a abrir, outras ainda fingimos que elas não existem.

Estas peças de mobiliário emocional arrastam-nos e prendem-nos nas memórias da vida e podem tornar-se uma corrente forte e inquebrável, que não nos possibilita sair do ponto no qual nos encontramos.
Cabe a cada um de nós ter a força, coragem e determinação necessária para conseguirmos arrumar as nossas gavetas de forma que as consigamos abrir, se assim o desejarmos, e sintamos que, afinal, uma gaveta é apenas uma pequena parte da vida.


3 comentários:

  1. Hello!!!

    De quem é o quadro Su?

    Beijinho

    Pedro

    ResponderEliminar
  2. não encontrei referência ao autor

    ResponderEliminar
  3. tenho um feeling que é de Dali :-)

    ResponderEliminar