sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Amar

Amar - verbo transitivo; (latim amo, -are); ter amor a; gostar muito de; estar apaixonado.
Dou por mim a utilizar este verbo com frequência nas minhas construções frásicas; gosto de amar, de ser amada e do som da palavra. Sinto amor por pessoas, animais, situações e até por coisas. Obviamente que “amar alguém” é muito diferente de “amar uma situação ou uma coisa”, não obstante o facto, gosto de usar a palavra.

Há dias falava com colegas de trabalho sobre um livro que lia na altura, proferi a frase “estou a amar o livro” e fui olhada de uma forma… como direi, estranha talvez. Se já o sabia e havia constatado, nestes minutos de conversa foi claro e evidente o preconceito, o obstáculo e o pudor em utilizar o verbo amar.

Tenho dificuldade em aceitar a dificuldade no uso do verbo AMAR pois isso reflecte a dificuldade em amar e ser amado, a dificuldade em lidar com uma palavra cujo significado pode ser mais lato do que ligação emocional entre duas pessoas é também o reflexo de uma sociedade refém de egocentrismos, preconceitos e limitações em dar e receber.


quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

O filósofo e o lobo

Sugestão de leitura: "O filósofo e o lobo" de Mark Rowlands.


«No dia em que Mark Rowlands comprou um lobo, teve a sua primeira grande lição sobre a espécie: os lobos não gostam de ficar sozinhos. Ao regressar a casa, encontrou-a completamente destruída: dos forros do sofá, às tubagens do ar condicionado, nada restava inteiro.
Naquele dia, Mark fez um pacto com Brenin: nunca mais o abandonaria. Começava assim a estranha amizade de um professor de filosofia, misógino e alcoólico, e o seu imponente lobo de 70 quilos. Não mais se separaram. Iam juntos para todo o lado: os jogos de râguebi, as festas na universidade, e até às aulas - onde Brenin ocasionalmente uivava, ao ouvir dissertações chatas sobre filósofos herméticos.
O Filósofo e o Lobo é a história real de uma relação de doze anos entre um homem e um lobo. É um ensaio sobre o que nos separa (e aproxima) dos animais, um tratado sobre a lealdade, o companheirismo e o amor. Mas é também, acima de tudo, uma narrativa comovedora, pungente, sobre o que significa ser-se humano - e sobre o que podemos aprender com os lobos. »

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Acreditar

Para realizar grandes coisas,
não devemos apenas agir, mas também sonhar,
não só planear, mas também acreditar.
 
Jacques Anatole France

Lição de Tango

Sugestão de leitura: "Lição de Tango" da escritora Sveva Casati Modignani.

Tem por cenário a cidade de Milão onde vivem as protagonistas desta emocionante história: Giovanna e Matilde.
Giovanna é uma encantadora antiquária, casada e mãe de uma jovem adolescente. Já Matilde é uma pobre senhora, de idade avançada, que vive numas águas-furtadas de onde se recusa terminantemente a ser despejada. Ambas vivem no mesmo bairro e, por vezes, cruzam-se na rua, mas a vida vai encarregar-se de as juntar.
Um conjunto de acontecimentos dramáticos leva estas duas mulheres a aproximarem-se uma da outra, a conhecerem-se melhor e entre as duas nascem fortes laços de amizade. Matilde vai ajudar Giovanna a encontrar a serenidade e o amor e esta, por seu lado, vai acompanhar Matilde ao longo da sua caminhada final.

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Se...

Se fores... vai mais longe!
Se fizeres... faz diferente!
Se rires... ri até chorares!
Se sonhares... sonha mais alto!
Se arriscares... arrisca tudo!
Se pensares... pensa por ti!
Se saíres... sai da rotina!
Se mudares... muda tudo!
Se contares... conta comigo!



terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Perguntas

The question should be, is it worth trying to do, not can it be done.
       - Allard Lowenstein, twentieth-century American diplomat

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Em honra a S. Valentim



Não desistas do amor

"Todos nós já tivemos a sorte de amar. Alguns, uma única vez, mas a maioria tivemos várias oportunidades, diversos amores. Amores curtos, talvez inesquecíveis. Amores que terminaram, outros que geraram filhos e outros que se edificam a cada dia, amadurecem. E todos, sem excepção, nos incentivaram a tentar, porque de amar ninguém desiste.

Poderíamos dizer que o amor é um processo de "auto desconhecimento". Sem nunca termos convivido com a pessoa que começamos a amar, surge a necessidade de a conhecer e por outro lado ela a si. Diante dessa página em branco, somos obrigados a passar-nos a limpo e para isso é preciso relativizar as certezas e permitir a mudança, a adaptação, respeitando alguns espaços e silêncios. O que se passará a seguir é um livro fechado que iremos vivenciar.

O desprestígio do amor talvez advenha da pressa de viver, da urgência dos dias, da ausência dos pequenos gestos, dos bilhetes e das cartas escritas com caligrafia esmerada, das serenatas, das flores e outros mimos que caem em desuso quer pela falta de tempo, quer por outras formas mais tecnológicas que se vieram instalar, se assim se pode dizer… mas ainda assim, é ponto assente: o que se aproveita quando não se sente coisa alguma?
A resposta é: coisa alguma.

Não tenho particular gosto por datas festivas à excepção das mais "‘festivaleiras" como as festas dos santos populares… As emoções não deveriam ser agendadas ou calendarizadas para serem lembradas, celebradas.

O Dia dos Namorados é mais uma oportunidade para o comércio mas como estamos em crise, podemos sempre improvisar e surpreender de outras maneiras…Quase de certeza que lá no fundo da gaveta está aquela lingerie quase como nova…

O jantar pode ser improvisado, não tem que ser necessariamente num cenário cheio de cupidos e cortinados vermelhos, onde nos servem pratos estranhíssimos com gengibre e pimenta à mistura com chocolate em formas ainda mais estranhas num prato da Vista Alegre…

Já vários poetas tentaram decifrar o amor mas quase sempre, de tão contraditório que é, o amor não se mostra e só se sente…

PS: Amem-se!"

In Newsletter UOP, WeekEnd Edition, Ed 443, 11Fev2011

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Love

Love is like pi -- natural, irrational, and very important...


Brincadeira de Crianças

Sugestão de leitura - "Brincadeira de Crianças" de Carmen Posadas

" Luísa, uma escritora de thrillers, mulher emancipada e mãe solteira de uma filha pré-adolescente, trabalha num romance em que investiga a morte de um rapazinho. Todavia, aos poucos, Luísa apercebe-se de que o enredo do seu livro tem muito a ver com um episódio obscuro do seu passado, o qual parece estar também a repetir-se na vida da filha. Carmen Posadas constrói um romance de mistério em que reflecte sobre os perigos de se ultrapassar a fronteira, sempre ténue, que separa a verdade da mentira"

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Entre tachos e panelas

Sou um bom garfo, admito. Comida que venha para o prato, desde que bem cozinhada e apaladada, não sobra vestígios. Gosto de experimentar novos sabores, variar nos tipos de culinária. Devo este meu "fácil" gosto à minha mãe que, não obstante cozinhar a típica comida portuguesa, sempre habituou a família a uma alimentação variada, rica em vegetais e fruta, comendo muito peixe e não fomentando as guloseimas e doces.

Gosto de cozinhar mas detesto ter a cozinha como obrigação. A relação com os ingredientes, sabores e odores agrada-me e relaxa-me. Receitas não sei o que são, ou melhor, não sei o que é respeitar escrupulosamente uma receita do início ao fim; coloco um ingrediente aqui, retiro outro ali, adiciono uma erva aromática ou outra, no final a receita é por vezes algo bastante diferente da original.

Nas minhas aventuras entre tachos e panelas gosto de experimentar receitas novas e dar asas à minha imaginação. As novas experiências têm sido predominantemente vegetarianas e os resultados muito saborosos.





Things we forget #4


A beleza da dança

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Focus na solução

Recebi esta história por e-mail e achei engraçada para partilhar.


Um lisboeta vai ao consultório de um conhecido psicólogo e diz-lhe:
- Todas as vezes que estou na cama, acho que está alguém debaixo da cama.
Nessa altura eu vou para baixo da cama para ver, e acho que há alguém em cima da cama. Para baixo, para cima, para baixo, para cima. Estou a ficar maluco, doutor! - Deixe-me tratar de si durante dois anos - diz o psicólogo. Venha três vezes por semana, e eu curo esse problema.
- E quanto é que eu vou pagar por cada sessão? - Pergunta o lisboeta.
- 80 Euros por sessão - responde o psicólogo
- Bem, eu vou pensar - conclui o sujeito.
Passados seis meses, eles encontram-se na rua.
- Então porque não apareceu no meu consultório? - Pergunta o psicólogo.
- 80 euros a consulta, três vezes por semana, dois anos = 12.480 euros, ia ficar-me muito caro. Além disso falei com um alentejano na minha herdade que me curou por 20 euros.
- Ah é? Como? - Pergunta o psicólogo.
O sujeito responde:
- Por 20 euros ele cortou os pés da cama...

Muitas vezes o problema é sério, mas a solução pode ser muito simples!
Pense numa solução, em vez de ficar focado no problema.





sábado, 5 de fevereiro de 2011

Eckhart Tolle - "A New Earth"

A arte da meditação




Daniel Goleman, o consagrado autor de INTELIGÊNCIA EMOCIONAL, ensina a alcançar esses benefícios através de quatro tradicionais técnicas de meditação adaptadas à vida moderna.


- Meditar e Respirar: Uma das mais simples e divulgadas técnicas de meditação, encontrada em quase todas as antigas tradições espirituais.

- Meditar e Relaxar o Corpo: Um instrumento poderoso para promover o relaxamento, soltando e suavizando os músculos.

- Meditar Concentrado: Uma técnica que enriquece a percepção, fazendo descobrir os mecanismos e processos da nossa mente.

- Meditar e Caminhar: Um antigo método especialmente útil para quem tem dificuldade em manter-se imóvel ou em se concentrar enquanto medita.

Ainda não editado em Portugal, disponível apenas em edições brasileiras ou americanas.
Nota: podem comprar na Amazon uk

Benefícios da água


Um dos segredos da vitalidade celular:
  • 2 copos por cada 10kg corporais de água alcalina, especialmente
    • ao acordar
    • antes do banho
    • durante o exercício
    • e ao deitar




Obrigada pela partilha Ricardo

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Sabedoria

"Knowing yourself is the beginning of all wisdom."

Aristóteles


De volta ao teatro

Sugestão teatral na lingua de Shakespeare pelos "Lisbon Players" que nos têm habituado a grande qualidade quer nos textos quer nas interpretações. De 4 a 20 de Fevereiro, na Estrela em Lisboa.



quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Morte

"Morre lentamente quem não viaja, quem não lê, quem não ouve música, quem não acha graça de si mesmo"


Pablo Neruda

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Equilíbrio


"Perder o equilíbrio às vezes, por causa do amor, faz parte de viver uma vida equilibrada"

in "Comer, Orar e Amar", Elizabeth Gilbert