domingo, 31 de julho de 2011

Sensações

Toca-me com o teu olhar, sopra-me ao ouvido o teu amor, chama-me com o teu coração.


Strong Person

A strong person knows how to keep their life in order.
Even with tears in their eyes, they still manage to say "I'm ok" with a smile.

Live, Laugh, Love


Prós e contras

 Prós: exercicio, ar livre e boa companhia
Contras: ai, ui, ui, ai (em dois dias terá passado)


sexta-feira, 29 de julho de 2011

ZorBuddha

"Changing the World, by changing yourself"
 Um projecto interessante e enriquecedor que merece ser partilhado. 
 

A Orquídea Branca

Uma mulher ganhou de presente um vaso com uma linda orquídea branca. Ficou tão encantada que colocou a planta num xaxim (feto arborescente), na árvore mais bonita do jardim... A planta criou raízes que se prenderam na árvore... e a flor... no tempo certo... morreu. Passou um tempo e a mulher se esqueceu da orquídea que acabou se misturando às muitas plantas do jardim...
Muito tempo depois quando passeava distraída pelo jardim ela viu a linda flor branca... Com uma exclamação de alegria se aproximou da linda orquídea que nasceu sem ser esperada... A mulher ficou de novo tão encantada que quis preservar ao máximo aquela flor tão preciosa, da chuva... do sol...

Enquanto admirava a sua beleza ia pensando em uma forma de protegê-la para que ela ficasse o maior tempo possível enfeitando o jardim, sem sofrer nenhum dano nas aveludadas pétalas brancas...
Colocou então um plástico branco esticado sobre a planta... que protegia completamente a orquídea. Mas... também escondia a sua beleza... Quem passasse por ali, com certeza, veria a proteção, que chamava a atenção porque destoava do que era a natureza... mas não via a orquídea... a menos que tivesse um olhar bem atento e sensível para o que estava além...

A orquídea até se sentiu feliz e orgulhosa... quando se viu tratada de forma tão especial, ao contrário das muitas flores que estavam espalhadas no jardim... e na primeira chuva que veio se sentiu protegida e confortável quando os grossos pingos não chegavam a tocar as suas delicadas pétalas... Ali de cima ela podia ver algumas flores perdendo uma pétala aqui, outra ali, e se curvando ao sabor das águas e do vento forte. E quando veio o sol a orquídea também não pôde sentir na pele das pétalas o calor, porque aquela protecção impedia que o sol a atingisse em cheio... como fazia com as outras flores do jardim. Ela estava protegida, com certeza estava. Mas não estava feliz...

Olhando as outras flores, ao sabor da chuva, do sol, podia ver um brilho especial nas pétalas e um viço diferente, e mesmo aquelas que perdiam algumas pétalas quando a água vinha mais forte, pareciam felizes, muito felizes, e exalavam vida, além de perfume.
A orquídea, mesmo linda, parecia pálida e sem vida... e se sentia assim. E as chuvas foram caindo, o sol foi brilhando, as flores nasciam e morriam. E a orquídea enfeitava o jardim, intacta e bela, Mas, triste, muito triste. Ela percebeu que o seu tempo estava passando, e isso deu-lhe uma profunda tristeza por não poder ter vivido a chuva, o sol. Nunca pôde sentir a alegria incontida que percebia nas outras flores quando em contacto com as forças da natureza. Aquele plástico que protegia, sufocava mais que tudo. E o tempo que ela ganhou com esta proteção acabou se tornando tristeza.

E foi a lua, que também não tinha conseguido tocar diretamente as suas pétalas, que entendeu o sofrimento da orquídea, e sentiu uma profunda compaixão pela linda flor. Num ato de amor, lançou um raio de luar tão intenso que desintegrou completamente o plástico que protegia a orquídea, que se rendeu feliz à lua, ao sol, à chuva, à vida, intensamente, até seu último e derradeiro instante, colorido e encantado por gotas de água, filtradas pelo sol em cores de arco íris.

Muitas vezes, os escudos que usamos para proteger, impedem de viver o melhor da vida e escondem o que tem de mais bonito.

Rubia A. Dantés




quinta-feira, 21 de julho de 2011

Jogo de cordas

1x1, 1x2

Quem se lembra?


Rasgos de lucidez

Questiono-me muitas vezes acerca da razão pela qual complicamos tanto a vida.

Porque razão nos focamos e gastamos energia com coisas e pessoas que não nos fazem sentir bem?
Porque razão fechamos a porta a experiências e pessoas que podem ser reveladoras e/ou transformadoras?
Porque razão não nos permitimos ser felizes sem exigirmos tanto?

Haverá por aí algum rasgo de lucidez que possam dispensar?



quarta-feira, 20 de julho de 2011

Estórias de Carolina #2

Tema: bicho de estimação

Sempre tive animais de estimação durante a infância, cão e gato, por isso o meu modelo de mundo inclui estes bichanos que rapidamente se tornam membros da família, e cuja ausência causa um vazio enorme na casa. Acho fantástico o quanto um animal nos pode "amar" e quão intensa pode ser a ligação emocional que liga um humano a um animal.


Ainda me lembro do primeiro animal a fazer parte da família, um cão de rua que enquanto a casa dos meus pais estava a ser construída foi alimentado pelos pedreiros da obra e por lá foi ficando e tomando aquele espaço como seu. De tal forma integrou a propriedade do espaço que um dia impediu a entrada de uns senhores, que iriam deixar material nas traseiras da obra, num período de ausência dos trabalhadores. A partir desse dia o Robin, nome que lhe dei, do alto dos meus cinco anos parecia um bom nome, passou a fazer parte da família e ficou connosco até ao último dos seus dias muitos anos depois.

Após a despedida do Robin tivemos vários gato, uma "bolinha" descendente de um pastor alemão que rapidamente se tornou num cão grande e forte, e, mais recentemente, uma cadela de porte médio que veio contrariar a vontade de não se querer mais animais de estimação lá por casa.

Os animais são seres fantásticos, genuínos e que nos adoram incondicionalmente.
Quer estejamos bem cheirosos ou a cheirar a cavalo, bem dispostos ou com as maiores "trombas" do mundo, saudáveis ou doentes, sejamos pobres ou ricos, sejamos feios ou bonitos os nossos animais veem-nos sempre como os maiores.
 

Sentimentos

"Nossos sentimentos são seres vivos e
 decidem sem nos consultar."

Fernanda Gaona

em Delirios e Suspiros

terça-feira, 19 de julho de 2011

Life

Estórias de Carolina #1

Tema: Uma questão de energia

Detesto sanguessugas, daquelas que estão sempre alerta para te chupar a energia e boa vibração. Deveria sentir compaixão por algumas delas, aceitá-las como são e lidar da melhor forma perante a sua presença mas por muito que me esforce há pessoas com as quais não tenho capacidade de lidar.

O mais estranho é que este tipo de pessoas não captam, ou não querem captar as mensagems que recebem de retorno. Qual será a dificuldade em perceber que quem não responde a e-mails e não atende os telefonemas não está "nem aí" para nós? Qual será a dificuldade em perceber que inundar a caixa de correio de outros com mensagens de lamentos e muitas Estórias apenas as afasta mais?

No final tudo se resume a uma questão de energia, a uma questão de Luz.
Quem está na escuridão procura de forma menos saudável a Luz de outros em vez de acender as suas próprias velas.

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Estórias de Carolina #0

Sou a Carolina, um ser sem idade, sem côr e sem corpo, passarei por aqui para partilhar contigo algumas estórias. Estórias que vivi, ouvi ou simplesmente criei. Espero conseguir transmitir-te emoção e paixão com cada uma das palavras que aqui deixar.

O objectivo primário é "reciclar" emoções, ideias e sensações.

Actividade física aguça memória

O cérebro é um órgão que nos ajuda, entre outras coisas, a registar, na memória, milhões de informações preciosas. Tem um papel activo nas aprendizagens e também na estruturação da nossa consciência. Sabemos quem somos graças, entre outros processos, à memória autobiográfica.

As últimas pesquisas dão conta que os exercícios físicos podem ajudar pessoas com 50 anos ou mais a melhorar a memória. Uma equipe de pesquisadores da Universidade de Melbourne, na Austrália, fez testes com 138 voluntários nessa faixa etária e que apresentavam dificuldade de lembrar as coisas.

As pessoas desse grupo que seguiram um programa diário de actividades físicas apresentaram melhoria na função cognitiva em comparação com os que não participaram do programa. Parte dos voluntários fez três sessões de 50 minutos por semana de actividades moderadas, como caminhadas, ao longo de 24 semanas. Os outros voluntários não fizeram nenhuma actividade física específica.

No final, as pessoas que se exercitaram, além de obterem resultados melhores em testes de cognição, também tiveram notas menores numa prova que detecta sinais de demência.

Exames posteriores revelaram que os benefícios persistiram por mais 12 meses depois do fim do programa de exercícios. Está hoje demonstrado que a prática de actividades físicas ajuda, além do sistema cardiovascular e do organismo em geral, as funções cognitivas ao aumentar o fornecimento de sangue ao cérebro aumentando a sua capacidade de resposta e a sua longevidade.

-
Publicado em DESPORTOS DE GINÁSIO com a colaboração do Instituto da Inteligência

Mr. Gorgeous

A vida é uma só

"As pessoas complicam muito as coisas...

Sente saudade? Ligue.
Quer encontrar? Convide.
Quer compreensão? Explique-se.
Tem dúvidas? Pergunte.
Não gostou? Fale.
Gostou? Fale mais.
Tá com vontade? Faça.
Quer algo? Pedir é a melhor maneira de começar a merecer.


Se o "não" você já tem, a tentar, só corre o risco do "sim"...

A vida é uma só!!!"
-----
Autor desconhecido
 

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Only but not lonely...

A beleza das notas musicais

Receitas

Momentos

"Havia um homem que costumava ter em cima de sua cama uma placa escrita: ISSO TAMBÉM PASSA...então perguntaram à ele o por quê disso... ele disse que era para se lembrar que, quando estivesse passando por momentos ruins, poder se lembrar de que eles iriam embora, e que ele teria que passar por aquilo por algum motivo. Mas essa placa ...também era pra lembrá-lo que quando estivesse muito feliz, que não deixasse tudo pra trás, porque esses momentos também iriam passar e momentos difíceis viriam de novo...E é exatamente disso que a vida é feita: MOMENTOS!


Momentos os quais temos que passar, sendo bons ou não, para o nosso próprio aprendizado. Por algum motivo... Nunca esqueça do mais importante:
NADA É POR ACASO ! Absolutamente nada. Por isso temos que nos preocupar em fazer a nossa parte da melhor forma possível."

Chico Xavier

A la ditancia de un te quiero

A distância é como o vento porque agiganta os amores...

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Reclamar

"Não reclamem nada do mundo pois ele não vos deve nada, chegou cá primeiro."


Mark Twain

Sucesso

“Não procure ser uma pessoa de sucesso, procure ser uma pessoa de valor. O sucesso é só uma consequência.”


Einstein

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Quero ser feliz!

"Quando o meu Pai me perguntou
pela primeira vez o que eu queria ser,
respondi-lhe - após uma pequena pausa -
'Eu quero ser feliz.'
Isto, fez o meu Pai parecer bastante infeliz,
mas então tornei-me outra coisa
e todos ficaram felizes comigo."

Liselotte Rauner

domingo, 10 de julho de 2011

Comemorar a Vida

Comemorei a vida com um grupo de pessoas maravilhosas
Vivi, amei e estou grata por cada momento do dia
Vivi imensa alegria, amor, partilha e diversão
Adorei cada segundo, hora e minuto
Amei cada um dos presentes e
Senti que a Vida é algo fantástico e gratificante

Obrigada aos que estiveram presentes, e aos que estiveram ausentes
Obrigada por serem tão especiais e me fazerem acreditar, cada vez mais, que neste mundo há pessoas fabulosas.

Alguém um dia escreveu: "Mesmo que não escrevas livros, és escritor da tua vida. Mesmo que não sejas Van Gogh, podes fazer de tua vida uma obra de arte!" - (Autor desconhecido)

A minha obra de arte está pincelada por sentimentos e momentos vividos com pessoas lindas, maravilhosas e espectaculares.
Obrigada!!

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Sopro de amor

Grata por
todo o mimo e atenção.
estar rodeada de pessoas maravilhosas
me sentir bem comigo mesma, e com os outros
saber e sentir que estou no caminho certo

Grata pelo enorme sopro de amor que acalentou ainda mais a minha vida no dia que passou.

terça-feira, 5 de julho de 2011

Altos e baixos

A maioria das pessoas vive a vida numa correria desenfreada, não tem tempo para os filhos, para os pais, para os amigos e nem mesmo para si própria. A maioria das pessoas não vive, sobrevive.
Passam pelo caminho da vida sem apreciar a beleza de cada alto e baixo, dos caminhos mais sinuosos e dos mais belos.


Na sociedade em que crescemos, nos moldamos e vivemos é dificil deixarmos de viver nos padrões que conhecemos, é estranho ser e fazer diferente, é emocionalmente desgastante lutar contra pré-conceitos de vida e de conduta. No entanto também é imensamente engrandecedor mudarmos a frequência; a frequência dos pensamentos, do foco, da energia, da vida.

O caminho que percorremos diariamente não é feito exclusivamente de lindos jardins floridos, muitas vezes encontramos espinhos tão grandes que nos desgastam e ferem. A vida é assim mesmo com altos e baixos, se assim não fosse não seria vida mas sim morte.
Viver é ser grato por tudo o que a vida nos dá, seja bom ou não, e mesmo que não compreendamos a razão dos eventos há sempre um motivo maior que mais tarde ou mais cedo iremos descobrir.

Durante anos vivi num jardim sombrio, cheio de flores murchas, quase mortas, e com tanto espinho que o meu foco estava na sobrevivência. Quanto mais desejava sair da escuridão menos sol me iluminava.

Tenho caminhado árdua e afincadamente pelo caminho da Luz, do Amor e da Gratidão, e hoje sinto que valeu a pena. Choro de emoção ao sentir que cada vez mais atraio pessoas e eventos maravilhosos, que me engrandecem e me fazem ainda mais feliz. E os eventos menos bons, os baixos da vida, fazem com que aprenda ainda mais e me torne uma pessoa mais forte, mais tolerante, mais paciente e rica em experiências e crescimento.

E com esta me vou:
"Se não conhecêssemos a tristeza não saberíamos valorizar a alegria"