quinta-feira, 15 de março de 2012

Coragem

"Então acha-me corajosa? - perguntou
- Sim, acho.
- Talvez eu seja. Mas isso é porque tive alguns bons professores. Vou contar-lhe sobre um deles.
 

Há muitos anos, quando trabalhava como voluntária no Hospital de Standford, conheci uma garotinha chamada Liza que sofria de uma doença grave e rara. Aparentemente a sua única hipótese de recuperação era uma transfusão de sangue do seu irmão de 5 anos que sobrevivera milagrosamente à mesma doença e desenvolvera os anticorpos necessários para combater o mal. 
O médico explicou a situação ao irmão e perguntou ao menino se ele doaria o seu sangue à irmã. Vi-o hesitar apenas por um instante antes de respirar profundamente e dizer:
- Sim, dou se for para salvar a vida da Liza.
 

À medida que a transfusão decorria ele estava deitado numa cama ao lado da irmã e sorria, como todos nós, ao ver a côr voltar ao seu rosto. Depois o rosto dele ficou pálido e o seu sorriso apagou-se. Ele olhou para o médico e perguntou numa voz trémula:
- Vou começar a morrer já?
Como era muito jovem, o menino compreendera mal o médico, pensou que teria que dar-lhe todo o seu sangue.

- Sim, aprendi a ser corajosa - acrescentou ela - porque tive professores que me inspiraram."

Dam Millman

Sem comentários:

Enviar um comentário