quinta-feira, 14 de março de 2013

E depois do Adeus!

Não queria acreditar que partiras.
Cedo demais!
Cedo demais!


Nunca há tempo certo para as partidas mas quando não estivémos por cá tempo suficiente para dizermos que tivemos uma longa vida é sempre cedo.

Fica tanto por dizer, tanto por fazer, tanto por sentir, tanto por viver.
Vai tudo, tudo o que se disse, tudo o que se fez, tudo o que se sentiu, tudo o que se viveu.

Parecia um filme, uma estória.
Mas afinal não era!!




Sem comentários:

Enviar um comentário